• Sexsência

Cu não é bolo

Apertadinho. Gostoso. Quentinho. Eu sei que você ama sexo anal, mas ainda não conseguiu nadinha com a sua parceira, por isso, eu preciso te dar um alerta: cu, não é que nem bolo que você enfia o dedo e se ninguém reclamar você faz a festa! O bumbum é a segunda maior paixão nacional brasileira. Só perde para o futebol. O ânus, por ser uma região estreita proporciona maior pressão ao pênis e isso significa uma super excitação. Agora junte isso, a ver sua parceira ali... de quatro... naquela posição, que na sua fantasia, significa poderio... domínio... pronto! Isso torna o sexo anal o preferido entre os homens... Os mesmos que reclamam que elas não gostam! Aff. A culpa é sua e você a coloca onde deseja, pois não?! Não! Dessa vez eu não vou deixar você vir com esse papinho machista. Se não tá rolando sexo anal na relação e você quer muito mais ela não, a culpa é sua! Bem... ou quase sua... Aí você vai dizer assim, “mas Kiss... no texto passado você mostrou que elas podem sentir prazer e desconstruiu diversos tabus sobre a dor, então, porque mesmo assim minha parceira não curtiu o anal comigo?! Bem... para início de conversa eu lhe faço algumas perguntas: Ela estava muito a fim? Você a excitou bastante? Estimulou o clitóris dela enquanto tentava a penetração? Começou o anal usando os dedinhos? Usou o lubrificante adequado? Você parou quando ela reclamou de dor? Vocês dialogaram sobre isso?! Já sei! Você não fez nada disso e já foi logo enfiando o pinto sem ajudá-la em nada achando que a obrigação do prazer é só dela?! Meu querido!!! Eu sei que você já mandou super bem no anal com todas as mulheres que você pegou uma única vez na vida. Mas, para mim nenhuma delas é referência, pois tem muita mulher que se submete sem gostar apenas para fazer média. Mas, com a sua parceira funciona diferente. Aí você vai argumentar... mas e nos filmes pornôs? Parecem tão fácil... e que elas gostam tanto. Aff de novo! É um filme, ou seja, uma mentirinha com o objetivo de entreter o telespectador. E só é assim por um motivo: as pessoas que recebem o pênis ou outro objeto no ânus foram preparadas previamente: usaram dilatadores anais e muito lubrificante. Ah! E estavam muito a fim, pois nenhuma atriz topa um roteiro às cegas. Muitas vezes a cena é gravada com vários cortes, e depois é editada. Logo, esqueça o que você viu nos filmes e vá com calma, respeitando os limites dela. Com ela há carinho, envolvimento, intimidade, tempo de relação e isso tudo significa que ela vai escolher e decidir metade de tudo no sexo de vocês. E o anal é uma dessas decisões. Lembra que eu falei antes de te perguntar um monte que a culpa poderia ser quase sua? Pois bem... isso acontece quando ela simplesmente não gosta do sexo anal na relação, independente de sentir dor ou não, e isso tem que ser dialogado e acordado antes de qualquer tentativa. “E tá tudo bem se ela não gostar”, como vive repetindo nossa querida Vanne Costa.

Mas... se já rolou esse papo e ela topou e aí vocês tentaram e ela não curtiu. Agora sim. A culpa é sua! A parte da excitação antes do anal tem a ver com as preliminares e principalmente com o sexo oral. Mas... depois de feito tudo isso, mesmo que ela esteja muito excitada não é para sair enfiando o pênis de qualquer jeito. Ainda mais se o seu for gigante. O ânus tem grande força de fechamento esfincteriana e reage com espasmos aos primeiros toques, por isso trate-o com muito carinho... inicialmente encoste o pênis, mas não force a barra... espere que a musculatura relaxe, caso contrário há a liberação de adrenalina, um hormônio que impede o corpo de sentir prazer. O ideal é um relaxamento gradual do ânus usando a ponta do dedo até o ponto de usar o dedo inteiro e mais dedos. Ou até vibradores. Isso, com movimentos lentos, delicados e circulares. Enquanto isso... brinque com sua parceira, excitando-a com beijos e caricias... continue a estimulação com os dedos e só depois de sentir que ela está bem relaxada, coloque o pênis. E, se nas primeiras tentativas você não sentir que ela está segura, tenha paciência e aborte a missão. Vocês têm muito tempo ainda a tentar. Além da dor, outra coisa que afugenta as mulheres do anal, é o medo de se colocar em uma posição de excessiva submissão. Se você for um cara machista e levar esse tipo de atitude para a cama... aff... tudo vai dar errado. Mas... sei que isso faz parte da sua fantasia, então é mais um motivo para você exaltá-la na cama... torne-a a sua rainha e faça com que ela sinta que domina você e não o contrário... daí ela nem vai perceber quando você coloca-la de quatro e ai, pimba! E diálogo! Muito diálogo! Para ela fazer do anal mais uma forma de exercer sua sexualidade de um jeito mais livre e isento de preconceitos. E por favor... use lubrificante! Nem pense em soluções caseiras como cremes corporais, óleos e manteiga... anestésicos também não! Pois eles tiram totalmente a sensibilidade anal e se a penetração for agressiva a pessoa não sente nada podendo sofrer graves lesões. Ah! E não use saliva!!! Já expliquei sobre isso no vídeo um. Há géis dessensibilizantes vendidos em sex shops que diminuem a sensibilidade dolorosa do ânus mantendo o prazer. E use camisinha. Escolher uma posição confortável é fundamental, mas vou falar sobre isso no texto 5. Tenha calma... e até lá leia o próximo, onde vou falar sobre o prazer anal masculino... que é coisa de homem sim. Cópula a tergo e muita intumescência para o seu dia, Marianna Kiss Foto de Deva Williamson Como especialista em sexualidade eu atendo dúvidas sobre: identidade de gênero, orientação sexual, autoestima e disfunções e inadequações sexuais, de segunda a sábado on line e você pode me procurar no sexsencia@yahoo.com. Ah! Me acompanhe também nas redes sociais, no Instagram estou como @sexsencia e @mariannakisskiss e no youtube.com/sexsencia. #amoesexo #especialistaemsexualidade #sexoanaldoi #prazeranal #orgasmoanal #cunaoebolo #darocudoi #dicasdesexoanal

0 visualização

Quanto o nosso conteúdo modificou a sua vida?

A Equipe Sexsência é composta por 6 profissionais que dão seu máximo para a produção de conteúdo nas redes sociais, nas matérias da revista e na produção das lives com entrevistados. 

Nós trabalhamos de forma colaborativa e sem pro labore. 

Apoie o nosso trabalho para que continuemos levando a você conteúdo de qualidade com muita criatividade. Basta apontar o leitor de QR Code de seu celular para contribuições pontuais ou escolha nosso crowdfunding mensal. 

© 2020 by Sexsência

Crowdfunding

Em breve